domingo, 18 de setembro de 2011

Personalizando o Clonezilla Live

Aviso: texto escrito usando Linux como base. É possível segui-lo no Windows, tendo as ferramentas adequadas, o que não é discutido aqui.

O Clonezilla Live é um live CD baseado no Debian ou Ubuntu que traz o Clonezilla embutido. O Clonezilla, por sua vez, é um programa para clonagem de discos que usa ferramentas como parted, sfdisk, dd, partclone, entre outras.

Neste post, mostrarei como criar uma mídia personalizada do Clonezilla para automatizar tarefas.

Primeiro, baixe-o:

http://clonezilla.org/downloads.php

A diferença entre a versão normal e a versão alternative é que a primeira usa o Debian como base e a segunda o Ubuntu. Sempre uso a versão Debian. Fique à vontade para testar a versão Ubuntu. Em cada uma delas, existe a versão estável e versão de teste. Prefira a versão estável. Tente a versão de teste apenas no caso de problemas.

Depois, você tem arquivos .iso e .zip para baixar. Os .iso são imagens de CD e os .zip são o conteúdo da imagem de CD compactada, para uso em pendrives.

Cada arquivo, baseado no Debian, está disponível em versão i486, i686 e amd64. A diferença é a configuração do kernel de cada uma:

                         ---------------------------------
                        |  i486      i686-pae     amd64   |
|---------------------------------------------------------|
| Requer CPU 64-bit     |   Não         Não        Sim    |
|                       |                                 |
|---------------------------------------------------------|
| Suporta CPU pré-i686  |   Sim         Não        Não    |
| (AMD K6-2, VIA C3...) |                                 |
|---------------------------------------------------------|
| Suporta               |   Não         Sim        Sim    |
| multiprocessamento    |                                 |
|---------------------------------------------------------|
| Suporta clonar        |   Não         Não        Sim    |
| partições >10TB       |                                 |
|---------------------------------------------------------

A menos que você precise trabalhar com máquinas anciãs, a escolha fica entre i686-pae e amd64. A versão i686-pae funcionará no maior número possível de máquinas, quanto a versão amd64 terá melhor desempenho.

Depois de baixar o .iso ou .zip, descompacte seu conteúdo. Os arquivos necessários para dar boot são os seguintes:

live/filesystem.packages
live/filesystem.packages-remove
live/filesystem.squashfs
live/initrd.img
live/vmlinuz

E só. O resto pode ser descartado. Para ver as opções de boot (que serão modificadas por nós) da mídia original, dê uma olhada no arquivo syslinux/syslinux.cfg.

Crie uma pasta temporária para montar o novo ISO (usarei clonezilla_temp) e copie a pasta live para ela. Mantenha apenas os quatro arquivos, os demais podem ser excluídos. Para organizar melhor, eu renomeio a pasta live para clonezilla.

Como bootloader, o eterno GRUB4DOS. Você pode usar o ISOLINUX ou outro, mas daí as adaptações ficam por sua conta.

Baixe o GRUB4DOS: http://grub4dos.chenall.net

Descompacte. Copie o arquivo grub4dos-0.4.5c/grldr para a pasta clonezilla_temp.

Crie um arquivo chamado menu.lst (conteúdo abaixo) na pasta clonezilla_temp e, um diretório antes, rode:

genisoimage -l -r -V "Clonezilla" -b grldr -no-emul-boot -boot-load-size 4 -hide grldr -hide boot.catalog -o clonezilla_final.iso clonezilla_temp

menu.lst

color white/blue green/blue
default 0
timeout 20

title Clonezilla Live\nMidia nao pode ser removida
find --set-root /clonezilla/vmlinuz
kernel /clonezilla/vmlinuz live-media=removable live-media-path=clonezilla boot=live config keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br locales=pt_BR.UTF-8 noswap edd=on ocs_live_run="ocs-live-general" ocs_live_extra_param="" ocs_live_batch="no" ip=frommedia nosplash
initrd /clonezilla/initrd.img

title Clonezilla Live - To RAM\nMidia pode ser removida
find --set-root /clonezilla/vmlinuz
kernel /clonezilla/vmlinuz live-media=removable live-media-path=clonezilla boot=live config keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br locales=pt_BR.UTF-8 noswap edd=on ocs_live_run="ocs-live-general" ocs_live_extra_param="" ocs_live_batch="no" ip=frommedia nosplash toram=filesystem.squashfs
initrd /clonezilla/initrd.img

Vamos, então, dissecar essa tripa de opções para entender o que foi modificado em relação às opções de boot originais.

live-media=removable
Como é um live CD baseado no Debian, essa opção diz ao live-config para procurar o "filesystem.squashfs" apenas em dispositivos marcados pelo kernel como removíveis, ou seja, drives ópticos, pendrives, etc. Assim, partições em HDs fixos não serão montadas desnecessariamente no processo de boot. Se quiser restringir mais ainda, permitindo apenas a procura em dispositivos removíveis USB, substitua removable por removable-usb.

live-media-path=clonezilla
É uma mudança que precisamos passar para o live-config para informa-lo que a pasta onde encontra-se o arquivo "filesystem.squashfs" não é mais "live" (padrão quando a opção não é especificada), mas sim "clonezilla". Se colocar o arquivo "filesystem.squashfs" em uma pasta com outro nome, precisa alterar essa opção.

keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br
Configuramos o teclado para ABNT2 já no processo de boot (live-config), assim o Clonezilla não precisa se preocupar com isso depois.

locales=pt_BR.UTF-8
Português do Brasil.

toram=filesystem.squashfs
A única opção que diferencia as duas entradas no menu.lst. Essa opção copia o arquivo "filesystem.squashfs" para a memória e permite que a mídia seja removida. Não sei ao certo qual é a recomendação mínima de memória para esta opção, mas acredito que tendo 512MB ou mais é tranquilo.

Fora as opções do Clonezilla (abaixo), o resto são opções de menor importância, que você pode procurar no Google, buscando pelas opções suportadas pelo Debian.

Opções que dizem respeito ao Clonezilla:

ocs_live_run="ocs-live-general", ocs_live_extra_param="" e ocs_live_batch="no"
Essas são iguais ao CD oficial. Carregam o programa na forma interativa, com o passo-a-passo.

CLONEZILLA AUTOMATIZADO

REDE

Primeira coisa: para ter a rede configurada automaticamente (DHCP) ao dar boot, remova opção ip=frommedia das opções de boot.

Para automatizar a criação/restauração de imagens é preciso ter o diretório /home/partimag montado, pois é esse local que o Clonezilla usa para salvar e carregar as imagens. Ao usar o modo passo-a-passo, você é perguntado onde quer montar. Porém para usar pela rede, de forma automatizada, usamos a opção de boot ocs_prerun. Exemplo (compatilhamento Windows):

ocs_prerun="mount -t cifs //192.168.1.10/Imagens /home/partimag -o guest"

Monta o compatilhamento como convidado. Quando o mesmo não é protegido por senha.

ocs_prerun="mount -t cifs //192.168.1.10/Imagens /home/partimag -o user=USUARIO"

Monta compartilhamento protegido por senha usando o usuário "USUARIO". A senha é pedida na hora que o comando é executado. Após digita-la, o boot prossegue.

ocs_prerun="mount -t cifs //192.168.1.10/Imagens /home/partimag -o user=USUARIO,password=SENHA"

Idem acima, porém a senha é enviada junto. Não recomendável, pois a senha é armazenada em texto plano, facilmente disponível.

É possível montar outros tipos de locais, como compartilhamentos NFS. Você apenas precisa saber o comando correto com o mount e colocar na opção ocs_prerun.

Depois, removemos as opções ocs_live_extra_param e ocs_live_batch e modificamos a opção ocs_live_run para fazer a automatização, agora que temos a pasta /home/partimag montada.

Quando rodamos o Clonezilla no modo passo-a-passo, antes de pedir a última confirmação, ele mostra na tela o comando usado naquela operação. Usando o modo "Beginner" com device-image (imagens de disco, não partições específicas), o comando é esse:

Criar imagem:
ocs-sr -q2 -c -j2 -z1p -i 2000 -p true savedisk NOME_IMAGEM sda

Restaurar imagem:
ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -c -r -j2 -p true restoredisk NOME_IMAGEM sda

(removi o caminho /usr/sbin/ de cada linha, pois é desncessário)

Algumas coisas são configuráveis, como o tamanho, em MB, em que ele quebrará a imagem em vários volumes (-i) e se deve testar a imagem ou não (-sc não testa). Se você tiver alguma limitação de tamanho máximo de arquivo no sistema de arquivos usado para montar o /home/partimag, a opção -i pode ser útil. Do contrário, coloque um valor bem alto (ex. 100000), para fazer ele não dividir nada.

Outra opção útil, que não é usada por padrão ao restaurar imagens, é a -k1. Ela diz para o Clonezilla, quando for criar o particionamento, redimensionar as partições de forma que ocupem todo o espaço disponível no disco. No caso de mais de uma partição, elas são redimensionadas proporcionalmente.

A opção -j2 define se os setores entre o MBR e o início da primeira partição serão salvos. Quando você for criar a imagem, não custa nada deixar esta opção. Mas eu retiro da restauração, pois é desnecessária na maioria dos casos. No Windows não serve para nada e no Linux idem, pois apesar do GRUB usar esses setores para o Stage 1.5, o Clonezilla reinstala-o automaticamente.

Para controlar o que ele fará ao terminar o processo, a opção -p define se voltará ao menu, reiniciará ou desligará o sistema, com as opções -p true, -p reboot e -p poweroff, respectivamente.

Na criação da imagem, o método de compressão é selecionável (-zX):

z1:  GZIP
z1p: GZIP multithreaded
z2:  BZIP2
z2p: BZIP2 multithreaded
z3:  LZO
z4:  LZMA
z5:  XZ
z5p: XZ multithreaded
z6:  LZIP
z6p: LZIP multithreaded
z7:  LRZIP
z0:  SEM COMPRESSÃO

Resumo: LZO é o mais rápido, porém comprime muito pouco. GZIP é rápido e comprime consideravelmente mais que LZO. XZ (LZMA2) comprime mais que todos eles, porém é bem mais demorado (a descompressão de XZ é mais rápida do que de BZIP2). Pessoalmente eu fico entre os três. LZO ou GZIP para máquinas antigas, XZ para máquinas potentes. Em processadores com múltiplos núcleos, as opções sufixadas com "p" terão melhor desempenho. Note que o kernel i486 do Debian não suporta multiprocessamento. Para aproveitar múltiplos núcleos, use a mídia i686-pae ou amd64.

Durante a restauração da imagem, com a opção -c são pedidas duas confirmações antes do Clonezilla fazer alguma coisa de fato. Sem opção -c, uma confirmação. Com a opção -b, nenhuma confirmação (cuidado!).

NOME_DA_IMAGEM é a pasta que ele criará no ponto de montagem /home/partimag. Dentro desta pasta irão arquivos com informações do particionamento original, as imagens em si das partições, reports do lshw e dmidecode, entre outros. Na restauração automatizada, se você quiser que ele pergunte antes, coloque ask_user.

sda ao final diz para usar o primeiro HD fixo da máquina. O Debian hoje usa os drivers PATA do kernel, de forma que todos os dispositivos de armazenamento são identificados como sdX. Dispositivos fixos são sempre detectados antes de dispositivos removíveis pelo Udev. Assim, se você tiver pelo menos um HD fixo na máquina, qualquer pendrive que você plugar será, no mínimo, o sdb. Trabalhando com várias máquinas, todas com um HD só, você pode assumir com segurança que o nome do dispositivo dele será sempre sda. Se existir mais de um HD fixo, daí cuidado. Quando são HDs que usem o mesmo tipo de barramento, apenas IDE, ou apenas SATA, é fácil, pois a ordem deles nas portas define a ordem que o Udev dará os nomes. Por exemplo, em uma placa-mãe com dois HDs SATA, o HD plugado na porta SATA_1 será o sda e na SATA_2 será o sdb. Idem com a ordem dos conectores IDE primário/secundário e master/slave. O problema é quando você mistura HDs SATA e IDE. Daí só Deus sabe. Nestes casos, redobre o cuidado para não restaurar imagem no HD errado.

Então, depois das personalizações, a opção de boot ocs_live_run modificada:

Criar imagem:
ocs_live_run="ocs-sr -q2 -c -j2 -z1p -i 100000 -sc -p true savedisk NOME_IMAGEM sda"

Restaurar imagem:
ocs_live_run="ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -r -p true restoredisk NOME_IMAGEM sda"

Criar: -i 10000, -sc
Restaurar: removido -j2 e -c

SEM REDE

Mesma coisa acima, porém na opção ocs_prerun você deve montar a pasta /home/partimag em algum outro lugar. Dois modos práticos, caso você queira usar um HD externo, um pendrive, ou mesmo um DVD (pode ser a mídia de boot do Clonezilla Live), é montar por UUID ou LABEL (rótulo).

ocs_prerun="mount LABEL=ROTULO /home/partimag"

Monta partição com rótulo "ROTULO".

ocs_prerun="mount UUID=XXX /home/partimag"

Monta partição com UUID "XXX".

Em um Linux, você obtém estas informações facilmente com o blkid:

# blkid /dev/<partição>

Ao montar sistemas de arquivos "não-rede", não precisa especifica-los com a opção "-t". O mount consulta a libblkid e descobre por conta própria.

Tenha apenas o cuidado de não usar um UUID ou rótulo que possa existir no HD principal da máquina, onde o Clonezilla vá ser usado. O diretório /home/partimag deve ser montado num disco diferente quando for usar o modo device-image do Clonezilla.

EXEMPLO FINAL
(restaura imagem via rede a partir de um compartilhamento Windows)

menu.lst

color white/blue green/blue
default 0
timeout 20

title Clonezilla Live\nMidia nao pode ser removida
find --set-root /clonezilla/vmlinuz
kernel /clonezilla/vmlinuz live-media=removable live-media-path=clonezilla boot=live config keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br locales=pt_BR.UTF-8 noswap edd=on ocs_prerun="mount -t cifs //192.168.1.10/Imagens /home/partimag -o guest" ocs_live_run="ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -r -p true restoredisk NOME_IMAGEM sda" nosplash
initrd /clonezilla/initrd.img

title Clonezilla Live - To RAM\nMidia pode ser removida
find --set-root /clonezilla/vmlinuz
kernel /clonezilla/vmlinuz live-media=removable live-media-path=clonezilla boot=live config keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br locales=pt_BR.UTF-8 noswap edd=on ocs_prerun="mount -t cifs //192.168.1.10/Imagens /home/partimag -o guest" ocs_live_run="ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -r -p true restoredisk NOME_IMAGEM sda" nosplash toram=filesystem.squashfs
initrd /clonezilla/initrd.img

COM PENDRIVE

Hoje tudo que é placa-mãe tem BIOS que é capaz de dar boot via pendrive.

Identifique o pendrive (sdb, sdc, etc.) com

# parted -l

(usarei sdc no exemplo a seguir)

Recrie o particionamento para ter um MBR e uma partição FAT32 englobando todo o espaço disponível, ativa, alinhada em cilindros (importante, pois tem BIOS que se perde se for usado o alinhamento por MiB). ATENÇÃO! APAGARÁ TUDO QUE ESTIVER NO DISPOSITIVO!

# parted -a cylinder -s /dev/sdc -- mklabel msdos mkpart primary fat32 0% 100% set 1 boot on
# mkdosfs -v -F 32 -n "ROTULO" /dev/sdc1

(para não definir um rótulo, remova a opção -n "ROTULO")

Falta colocar o GRUB4DOS no MBR. Entre na pasta grub4dos-0.4.5c descompactada e instale-o no pendrive para torna-lo booteável:

# ./bootlace.com --no-backup-mbr --mbr-disable-floppy --time-out=0 /dev/sdc

(pode ser necessário dar permissão de execução ao arquivo: chmod +x bootlace.com)

Copie, por fim, o arquivo grub4dos-0.4.5c/grldr, o menu.lst que nós criamos e a pasta clonezilla para a raiz do pendrive e estará pronto.

MIÚDOS

- Documentação oficial: http://clonezilla.org/clonezilla-live-doc.php

- A tradução para português do Brasil foi adicionada na versão 1.2.9-10.

- A opção -sc, para pular a verificação da imagem após clonagem, foi adicionada a partir da versão 1.2.8-23. Nas versões anteriores não existia.

- O Partclone, ferramenta usada para criar/restaurar as imagens de cada partição, tem uma limitação de só coneguir restaurar imagens se a partição de destino for igual ou maior que a partição da onde a imagem foi feita. Ele não é capaz de restaurar imagens para partições de destino que forem menores que a origem. Em ambientes com PCs com configurações variadas, um quebra-galho é fazer a "imagem mãe" no menor HD que você tiver em mãos, pois para restaurar em destinos maiores não existe problema.

- Sistemas de arquivos suportados pelo Partclone: Btrfs, EXT2, EXT3, EXT4, XFS, JFS, ReiserFS, Reiser4, NTFS, FAT, HFS+, UFS2, VMFS.

- Este post foi feito com base no modo device-image do Clonezilla, que é o modo de clonagem de disco inteiro. Ele permite restaurar imagens para HDs vazios, ou com qualquer outra coisa dentro, "passando o rodo" e colocando o que estiver na imagem, lhe dando no fim um sistema booteável pronto, como era originalmente. Isso é chamado de bare-metal restore. Existem outros modos, para clonar apenas partições específicas, ou clonar de disco para disco. Dê uma olhada na documentação oficial.

- Parece complicado à primeira vista. Mas depois que você entende o funcionamento, fica mais fácil.

[Atualização - 05/08/2013] Revisão geral. Testado no Clonezilla Live 2.1.2-20.

18 comentários:

  1. carinha...como seria se o compartilhamento fosse linux?

    vlw

    ResponderExcluir
  2. usei o yumi para montar o pen com boot e estou usando essa linha de comando

    kernel /multiboot/clonezilla/live/vmlinuz
    append initrd=/multiboot/clonezilla/live/initrd.img live-media=removable-usb live-media-path=clonezilla boot=live config keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br noswap nolocales edd=on nomodeset noprompt ocs_prerun="mount -t nfs4 -o noatime, nodiratime, 10.11.10.164:/partimag/imagens /home/partimag" ocs_live_run="ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -c -r -j2 -p true restoredisk hp575080 sda" ocs_live_keymap="NONE" ocs_live_batch="no" ocs_lang="pt_BR.UTF-8" vga=788 nosplash

    ele sobe e da erro de "boot failed"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em qual pasta ficou a o arquivo filesystem.squashfs? Você precisa editar a opção "live-media-path" e indicá-la ali.

      Excluir
  3. Opa, vlw pela ajuda mas agora esta dando outro erro

    a linha é a seguinte

    append initrd=/multiboot/clonezilla/live/initrd.img live-media=removable live-media-path=multiboot/clonezilla/live boot=live config keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br noswap nolocales edd=on nomodeset noprompt ocs_prerun="mount -t nfs4 -o noatime, nodiratime, 10.11.10.164:/home/partimag/imagens partimag/imagens" ocs_live_run="ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -c -r -j2 -p true restoredisk hp_5750_80gb sda" ocs_live_keymap="NONE" ocs_live_batch="no" ocs_lang="pt_BR.UTF-8" vga=788 nosplash


    live-config: hostname user-setuprpcbind: cannot open '/run/rpcbid/rpcbind.xdr' file for reading errno 2 (no such file or directory)
    esse erro é apresentado mas ele continua

    sudo locates tzdata upstart-tty leyboard-configuration initramfs-tools util-linux login openssh-server umountfs
    ele para um bom tempo nessa linha mas segue

    the directory /home/partimag/imagens/hp_5750_80gb for inputed name does NOT exist!
    programa interrompido!!!


    mais acima ele ta dando em amarelo o "Clonezilla image dir: /home/partimag"


    a imagem que quero passar esta no caminho 10.11.10.164/home/partimag/imagens/hp_5750_80gb

    ja testei varias vezes mas não foi

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem "ip=frommedia" era para configurar por DHCP. Depois de resolver isso, você precisa montar o compartilhamento NFS em "/home/partimag" (está "partimag/imagens").

      Excluir
  5. consegui resolver o problema de rede, usando o clone passo a passo deixando o /imagens consigo fazer funcionar se tirar ele não mostra a opção de restoredisk

    ta dando agora esses dois erros
    live-config: hostname user-setuprpcbind: cannot open '/run/rpcbid/rpcbind.xdr' file for reading errno 2 (no such file or directory)
    rpcbind: cannot open '/run/rocbind/portmap.xdr' file for reading. errno 2 (No such file or directory)
    pesquisei na net e parece que é um problema conhecido do debian


    mas agora ele trava nessa linha
    sudo locates tzdata upstart-tty keyboard-configuration initramfs-tools util-linux login openssh-server umountfs


    append initrd=/multiboot/clonezilla/live/initrd.img live-media=removable live-media-path=multiboot/clonezilla/live boot=live config keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br noswap nolocales edd=on nomodeset noprompt ocs_prerun="mount -t nfs4 -o noatime, nodiratime, 10.11.10.164:/home/partimag/imagens /home/partimag" ocs_live_run="ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -c -r -j2 -p true restoredisk imagens/hp_5750_80gb sda" ocs_live_keymap="NONE" ocs_live_batch="no" ocs_lang="pt_BR.UTF-8" vga=788 nosplash

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplifique "ocs_prerun" e veja se ajuda:

      mount -t nfs4 10.11.10.164:/home/partimag/imagens /home/partimag

      Excluir
  6. simplifiquei mas infelizmente ainda não resolveu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenha certeza que o servidor NFS está funcionando. Eu não uso NFS aqui (é tudo Samba), mas tire a dúvida carregando algum outro Live CD, como o SystemRescueCd, Grml, Parted Magic, etc, e veja se ao menos consegue montar esse compartilhamento.

      Excluir
  7. consegui!!! uhuuu rs
    mudei a versão do clonezilla peguei a mais atual clonezilla-live-2.1.2-20-i486 ele montou mas realmente tem q estar em /home/partimag apesar do passo a passo não funcionar, mas usando o automático foi tranquilo

    vlw mesmo pela ajuda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beleza! Para ter mais desempenho, use a versão i686-pae (ou amd64 se tiver certeza que todas as máquinas possuem processadores com AMD64/EM64T).

      Excluir
  8. Coloca aí a linha de comando final para uso no yummi.

    Tem como colocar o Clonezilla para somente selecionar a imagem que você quer restaurar? Eu tenho inúmeras imagens e gostaria de automatizar o processo até esse ponto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não uso esse Yumi. Crio meus pendrives de boot na mão com o GRUB4DOS.

      Se é possível fazer ele ir automáticamente até o nome da imagem e ali parar para perguntar não sei dizer.

      Achei: basta colocar "ask_user" (sem aspas) no nome da imagem que ele perguntará antes.

      Excluir
  9. Marcos agora o que está acontecendo comigo é o seguinte eu coloquei para rodar tudo em automatico pelo grub mais na quando tento criar a imagem ou vou pedir parar restaurar da a seguinte msg.

    Starting to prepare Clonezilla live env...
    Live media is in /live/image
    Updating /etc/ocs/ocs-live.conf based on kernel parameters if found...
    done!
    No account with NOPASSWD sudo privileges was found!
    Program terminated!

    ai pede para eu entrar com usuario e senha do root.

    ResponderExcluir
  10. LABEL IMAGENS
    MENU LABEL DESKTOP BITWAY PINO
    kernel /multiboot/clonezillaamd64/live/vmlinuz
    append initrd=/multiboot/clonezillaamd64/live/initrd.img video=uvesafb:mode_option=1024x768-32 live-media=removable-usb live-media-path=multiboot/clonezillaamd64/live hostname=maverick boot=live config quiet noswap nolocales edd=on nomodeset noprompt keyboard-model=abnt2 keyboard-layouts=br ocs_prerun="mount -t nfs4 10.11.10.164:/home/partimag /home/partimag" ocs_live_run="ocs-sr -g auto -e1 auto -e2 -c -r -j2 -p true restoredisk imagens/bitway_pino sda" ocs_live_keymap="NONE" ocs_live_batch="no" ocs_lang="pt_BR.UTF-8" vga=788 nosplash toram=filesystem.squashfs

    isso é o que eu uso para o yumi, uso linux com nfs, ele não funciona se as imagens não estiverem em /home/partimag/imagens

    ResponderExcluir
  11. a pasta onde estão as imagens devem ter permissão para acesso de qualquer um

    ResponderExcluir
  12. Cara seu tutorial foi muito útil, me ajudou muito, mas me diz uma coisa, quando estou clonando um HD que tem partição Swap, o que eu posso fazer nesse caso? Se ele não aceita clonar partições assim? Ha algum comando que eu possa usa-lo depois do restaure? Pois se tiver que criar as particoes Swap em todas as maquinas manualmente nao da né, o que eu posso fazer nesse caso? Obrigado, vlw.

    ResponderExcluir