terça-feira, 26 de julho de 2016

XFSv5: nota para as distribuições (III)

Continua a saga (ver post anterior). Temos outra opção no mkfs.xfs causadora de incompatibilidade: -i sparse.

Está disponível a partir do mkfs.xfs 4.2.0. No kernel, a partir da versão 4.2. Recurso considerado experimental até o 4.7. No 4.8, será declarado estável e então não demorará para o mkfs.xfs habilitá-lo por padrão.

Tabela atualizada:

Kernel mkfs.xfs
≥ 2.6.23 e ≤ 3.12 -m crc=0 -n ftype=0
3.13 e 3.14 -m crc=0 -n ftype=1
3.15 -m crc=1,finobt=0 -i sparse=0
≥ 3.16 e ≤ 4.7 -m crc=1,finobt=1 -i sparse=0
≥ 4.8 -m crc=1,finobt=1 -i sparse=1
Versões requeridas do mkfs.xfs:

-m crc ≥ 3.2.0 -m finobt ≥ 3.2.1 -n ftype ≥ 3.2.0 -i sparse ≥ 4.2.0

-m crc=X,finobt=Y equivale a
-m crc=X -m finobt=Y

Reclamei dos novos recursos que quebram compatibilidade com versões anteriores do kernel. No entanto, pensando bem, não deixa de ser positivo, pois mostra um código em constante desenvolvimento, que não está morto como outros sistemas de arquivos (ReiserFS e JFS, por exemplo). E a quantidade de variáveis ainda é aceitável, dá para memorizar — ao contrário da loucura dos EXT.

Ainda sobre isso, o GRUB 2.02-beta3 adicionou suporte ao XFSv5, porém, em volumes com meta UUID configurado, falhava. Reportei o bug, que foi corrigido. Próxima tarefa é reportar outro relativo a volumes criados com -i sparse=1, não suportados pelo bootloader.

Nenhum comentário:

Postar um comentário