segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Apagar restos do particionamento GPT

No script que uso para restaurar imagens, passava o rodo no disco, antes de criar um novo particionamento MBR (também chamado MSDOS), usando wipefs -a <disco>. Perdi um tempo danado esses dias ao usar o Clonezilla, pois sempre reclamava que o disco, apesar de ter o particionamento MBR criado pelo parted, ainda tinha estruturas de um particionamento GPT anterior. Você pode zerar boa parte do início do disco (vários gigabytes), que não adiantará. Não fui atrás da especificação, mas o particionamento GPT tem backups de sua estrutura em outras partes do disco.

Um programa que resolve o problema é o sgdisk (análogo ao sfdisk), parte do gdisk, um fdisk com suporte a GPT*.

# sgdisk -Z <disco>

limpará completamente todo o particionamento existente no disco, tanto MBR quanto GPT.

* A partir da versão 2.23 da suíte util-linux, o fdisk passou a suportar o particionamento GPT. Ainda não é 100% completo e testado, entretanto. O parted e o gdisk ainda são mais recomendados, ao menos por enquanto, para lidar com GPT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário