sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

MATE, Trinity Desktop Environment

Com o advento do Gnome 3 e do KDE 4, surgiram os dois forks com a meta de manter as versões anteriores "vivas". Vivas entre aspas pois são mal-e-mal mantidas, se é que manutenção de um ambiente complexo por uma pessoa pode ser chamada desta forma...

A situação dos ambientes gráficos é a seguinte:

Gnome 3/KDE 4: ambientes que são efetivamente desenvolvidos e mantidos.

XFCE: dos ambientes "leves", foi o que mais conseguiu progredir, porém seu desenvolvimento está lento. O port para GTK3 não deve sair antes do XFCE 4.12 e, levando em conta o andar da carruagem, deve demorar...

MATE/Trinity DE: na prática não mantidos; dependem de pilhas e pilhas de bibliotecas obsoletas; mortos.

Assunto tirado do seguinte tópico da lista de discussão fedora-devel:
http://thread.gmane.org/gmane.linux.redhat.fedora.devel/157317

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Tem o LXDE também, e acredito que ele será portado para o GTK3+ antes do XFCE (pelo menos a última vez que li no blog do LXDE o port já estava em andamento com algumas coisas inclusive compilando já).

    Mas eu acho a situação atual dos DEs do Linux ruim. Por um lado temos o Gnome 3 que não agrada ninguém, por outro o KDE 4 que continua com bugs mesmo depois de infindáveis revisões. O XFCE praticamente está morto também, a versão 4.8 custou para sair e a 4.10 anda a passos de tartaruga. O LXDE, bem ele continua na dele, mas considerando que ele é mais um apunhado de aplicativos que um DE de verdade fica difícil falar algo dele.

    ResponderExcluir
  3. Tomara que não enfrente os bugs do KDE. Pensei até no openSUSE, que tempos atrás era quem tinha o melhor KDE da praça. Mas acho que só depois das festas de fim de ano para brincar do isso novamente.

    O XFCE teria que se manter. Ele é o substituto natural do Gnome 2. Pena que está morrendo. Da última vez que eu usei, faltava um controle de volume com boa integração com o PulseAudio. Lembro de ter lido no site (acho que no blog) deles que estavam reclamando do GStreamer, que provê uma interface para controlar os volumes, mas que era muito limitada e impedia um controle decente com o PulseAudio. Até pode ser, mas então que adaptem do Kmix e do controle do Gnome e façam com código próprio. Este tipo de coisa básica do ambiente tem que ser prioridade. Não tem choro.

    ResponderExcluir