domingo, 9 de outubro de 2011

Mudanças no Fedora 16 (II)

Como comentei no post Fedora 16 agora usa particionamento GPT em novas instalações, no Fedora 16, o Anaconda (seu instalador) usa por padrão o particionamento GPT quando o HD não possuir um particionamento pré-existente.

Outra mudança, positiva ao meu ver, é que a partir desta versão existe uma opção para dizer para o instalador não usar LVM, que vinha sendo usado desde muito tempo (sempre?) pelo Fedora no modo de particionamento automático. LVM é coisa para uso corporativo, que não tem sentido para um desktop. Acaba apenas tornando o boot mais lento e adicionando complexidade desnecessária.

Opção "Use LVM" pode ser desmarcada

Sem LVM, o layout usado por padrão ainda não me agrada, com uma partição /boot separada e a partição swap (que eu não uso). Porém para quem não customiza o particionamento, é um avanço poder pelo menos se livrar do LVM.

Particionamento padrão sem LVM

Eu sempre customizo e deixo apenas duas partições, uma / e outra /home -- no caso três por causa da partição "BIOS Boot", que é obrigatória ao usar GPT com placa-mãe com BIOS.

Meu particionamento customizado

Anaconda reclamando da falta de swap (sim, desejo continuar)

Observação: capturas feitas do DVD de instalação do Fedora 16 Beta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário